Início > Português > OS MODIFICADORES: ADJETIVOS E ADVÉRBIOS

OS MODIFICADORES: ADJETIVOS E ADVÉRBIOS

Veja abaixo conteúdo e atividades:

1. Adjetivos

O adjetivo é a classe gramatical responsável por conferir uma característica, modificação ou restrição a um substantivo; observe:

Eu tenho uma bolsa.
Eu tenho uma bolsa bonita.
Eu tenho uma bolsa de cor amarela.

Note que, na primeira sentença, não há nada dito sobre como a bolsa é, o ouvinte (leitor) entende que o falante tem uma bolsa, mas não tem nenhuma informação que permita visualizá-la, ou seja, caracterizá-la. Na segunda sentença, o adjetivo bonita confere um dado sobre o substantivo bolsa. Já na terceira sentença, também aparece um elemento de caracterização, que diz como a bolsa é, porém não é um adjetivo, mas uma locução adjetiva.

~> A função de caracterizar é a mesma, o que muda é a forma: bonita é um adjetivo, de cor amarela é uma locução adjetiva.

Há uma equivalência entre os adjetivos e as locuções adjetivas. Veja

Dor de estômago = Dor gástrica
Período da tarde = Período vespertino
Conselho de pai = Conselho paterno

Note ainda que, se é dito “bolsa amarela”, o ouvinte tem em mente um modelo específico de bolsa, porém, se é dito “bolsa bonita”, este julgamento subjetivo impede que o ouvinte imagine a bolsa, ou pelo menos faz com que ele imagine sem fidelidade à bolsa real.

Assim, entendemos a diferença entre adjetivo objetivo e adjetivo subjetivo. No caso do adjetivo objetivo, não há juízo de valor: ele expressa uma característica objetiva, claramente expressa e que será dita por qualquer pessoa que veja a bolsa. Por outro lado, o adjetivo subjetivo é uma opinião do falante a respeito da bolsa – o que é bonito para um, pode ser feio para outro.

Exemplos de adjetivos objetivos:

Borboleta amarela, mulher burguesa,

Exemplos de adjetivos subjetivos:

Menina feia, sabor agradável, matéria confusa.

 2. Advérbios

O advérbio é a classe gramatical responsável por conferir uma CIRCUNSTÂNCIA. Principalmente a um verbo, podendo se referir também a um adjetivo, um outro advérbio ou a toda a sentença. Está na sentença para conferir uma circunstância; observe:

Ana trabalha demais. (advérbio demais conferindo circunstância ao verbo trabalha)
O trabalho da Ana é chato demais. (advérbio demais conferindo circunstância ao adjetivo chato)
Ana trabalha absolutamente demais. (advérbio demais conferindo circunstância ao advérbio absolutamente)

Além de os advérbios se referirem a um termo específico na frase (verbo, adjetivo ou advérbio), ele pode também se referir a toda a frase. Neste caso, ele é usado para expressar uma opinião de quem fala a respeito do que é dito. Veja

Vencemos o jogo, obviamente.
Inesperadamente, perdemos a partida ontem.

Note que no segundo exemplo, o advérbio inesperadamente modifica toda a sentença, inclusive o advérbio ontem, presente na frase.

3. A categoria dos modificadores

Adjetivos e advérbios também são chamados de MODIFICADORES, pois os adjetivos qualificando e os advérbios conferindo uma circunstância modificam o sentido original das palavras a que se referem.

A diferença entre estas duas classes se dará, portanto, em relação ao termo modificado. O adjetivo SEMPRE se refere a um substantivo, enquanto o advérbio, pode se referir a um verbo, a um adjetivo, a um outro advérbio ou até mesmo à sentença inteira, como visto anteriormente.

 

EXERCÍCIOS

1. Em que casos a palavra destacada não tem valor de adjetivo? Explique
a) Um branco, velho, pedia esmolas.
b) Um velho, branco, pedia esmolas.
c) Era um dia cinzento.
d) O sabão usado desbotou o verde da camisa.
e) Os viajantes dormiam tranquilos.

2. Quais as opções contêm locução adjetiva? Explique
a) Esta é a torneira de água fria.
c) Este quadro é muito feio.
d) A bicicleta dela é anglo-saxônica.

3. Explique a diferença entre os termos destacados:
a) Ela anda cansado.
b) Ela anda cansada.

4. Só não há advérbio em:
a) Não o quero.
b) Ali está o material.
c) Tudo está correto. 
d) Talvez ele fale.
e) Já cheguei.

5. Identifique a que termos os advérbios abaixo se referem e qual a circunstância que conferem:
a) Mal cheguei estou saindo.
b) Ela era bem bonita.
c) Ela anda muito naturalmente. 
d) Ela anda muito, naturalmente.
e)Ela não viria, óbvio, eu disse.

GABARITO COMENTADO

 

1. Em que casos a palavra destacada não tem valor de adjetivo? Explique

a) Um branco, velho, pedia esmolas.

b) Um velho, branco, pedia esmolas.

c) Era um dia cinzento.

d) O sabão usado desbotou o verde da camisa.

e) Os viajantes dormiam tranquilos.

 

~> A palavra destacada não tem valor de adjetivo nas alternativas ‘b’ e ‘d’.
Em ‘a’, velho atribui uma característica a branco, que está substantivado pelo artigo indefinido um. Cinzento é como o dia era, tranquilos, como os viajantes estavam enquanto dormiam, todas essas opções representam, portanto, adjetivos. Porém velho, em b, está substantivado pelo artigo, bem como verde, ambos, antecedidos pelo artigo, ganham caráter de substantivo e perdem o status de adjetivo.

2. Quais as opções contêm locução adjetiva? Explique

a) Esta é a torneira de água fria.

c) Este quadro é muito feio.

d) A bicicleta dela é anglo-saxônica.

 

~> A opção que contém locução adjetiva é a ‘a’. Em b, muito é advérbio de intensidade que modifica feio, adjetivo. Anglo-saxônica é um adjetivo de palavra composta. A locução adjetiva é de água fria, que obedece à construção das locuções: preposição + substantivo (de + água) e o adjetivo fria.

3. Explique a diferença entre os termos destacados:

a) Ela anda cansado.

b) Ela anda cansada.

 

~> O verbo anda, neste contexto, se identifica com está. Cansada, denota, portanto, um estado do sujeito. Cansado é um advérbio formado por derivação imprópria (um adjetivo funcionando como advérbio), por esta razão não flexiona no feminino. O verbo anda, neste caso, equivale a caminhar, sendo cansado, portanto, o modo como o sujeito ela anda, caminha. Com este exemplo, notamos que o adjetivo no masculino singular pode funcionar como advérbio de modo, quando equivale a uma palavra análoga terminada em mente (ex.: ela anda cansado -> ela anda cansadamente). Note, ainda, que, se o sujeito fosse masculino singular (ex.: ele anda cansado) somente o contexto nos permitiria a interpretação correta da sentença.

 

4. Só não há advérbio em:                                       

a) Não o quero.

b) Ali está o material.

c) Tudo está correto. 

d) Talvez ele fale.

e) Já cheguei.

 

~> Na opção ‘c’ não há advérbio. Não é advérbio de negação, ali é advérbio de lugar, talvez é modalizador, já é advérbio de tempo, porém tudo não é advérbio, é pronome.

 

5. Identifique a que termos os advérbios abaixo se referem e qual a circunstância que conferem:
a) Mal cheguei estou saindo.

b) Ela era bem bonita.

c) Ela anda muito naturalmente.

d) Ela anda muito, naturalmente.

e) Ela não viria, óbvio, eu disse.

 

~> Em ‘a’, advérbio mal se refere ao verbo cheguei e ao verbo saindo, ambos conferem circunstância de tempo, sendo, portanto, advérbios temporais. Em ‘b’, bem se refere ao adjetivo bonita, é um intensificador. Em ‘c’, muito intensifica naturalmente, naturalmente é o modo como o sujeito ela anda. Em ‘d’, muito se refere a andar, intensificando esse verbo; naturalmente, que é um advérbio de frase, modaliza toda a sentença (representa uma tomada de posição de quem fala). Em ‘e’, não é advérbio de negação que se refere ao verbo viria; óbvio é, assim como naturalmente em ‘d’, um advérbio de frase.

About these ads
CategoriasPortuguês
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: